Página Oriente

 

 

Principais pontos e dúvidas sobre a Exortação Apostólica do Papa  

 

                                                           Destacamos abaixo os principais temas abordados na Exortação Apostólica do Papa Bento XVI,  divulgada  pelo Vaticano (13 de março de 2007) e que reflete as principais mudanças que devem ser seguidas  pela Igreja universal com base nas normas já promulgadas por Sua Santidade.  Todos os fiéis católicos, especialmente o clero, tem por obrigação cristã de difundir e aplicar as novas determinações romanas. Para acessar o documento integral no Vaticano, clique aqui.   Abaixo, apresentamos breve análise de cada tópico, que poderá ser conferido clicando-se no respectivo link, que o levará direto ao ponto da Exortação do Papa:

Obs:  Ao clicar pela 1ª vez nos links,  é comum a demora ao carregar, já que o documento possui 140 páginas. 

Celibato - O Papa reafirma a  sua obrigatoriedade. Verificar na Exortação (item 24)  Verificar na Exortação (item 81)

Música -  Em sua exortação o Papa descreve que nestes dois mil anos de história, a Igreja criou e  continua a criar um patrimônio que não se deve perder e que em liturgia, não se pode dizer que tanto vale um tipo de cântico como outro. Disse ser necessário evitar a  improvisação ou introdução de gêneros musicais que não respeitem o sentido da liturgia. Por isso, reafirmando o pedido dos padres sinodais, pediu a valorização do canto gregoriano como canto próprio da liturgia romana.  Verificar na Exortação (item 42)

Língua Latina -  Especialmente  nas celebrações de encontros internacionais, exceto as leituras, homilias e a oração dos fiéis, o Papa recomendou a língua latina. Também pediu que fossem recitadas em latim as  orações mais conhecidas da tradição da Igreja, e  a entoação de algumas partes em canto gregoriano.  A nível geral, pediu que a preparação dos sacerdotes fosse feita desde o tempo do seminário para compreender e celebrar a Missa em latim, bem como usar textos e  entoar o canto gregoriano,  devendo-se procurar formar também os próprios fiéis para saberem, em latim, as  orações mais comuns e  cantarem, em gregoriano, determinadas partes da liturgia.  Verificar na Exortação (item 62)

Confissão - O Papa pede que os bispos diocesanos recuperem a  pedagogia da conversão aos fiéis desde a Eucaristia à confissão freqüente e  que haja, neste sentido, generosidade e empenho dos sacerdotes na administração do Sacramento.  Verificar na Exortação (item 21)

Confessionários - Devem estar em locais visíveis na Igreja.  Verificar na Exortação (item 21)

Sacerdote - Não deve colocar em primeiro plano sua pessoa nem suas opiniões, nem como protagonista da celebração , mas obedecer aos critérios do rito litúrgico. Verificar na Exortação (item 23)

Vocação sacerdotal - Mesmo que haja preocupante escassez de vocações, deve haver discernimento vocacional adequado para admissão de vocacionados Verificar na Exortação (item 25)  

Escassez de sacerdotes - Deve haver distribuição mais eqüitativa do clero nas regiões onde faltam padres. Os bispos devem solicitar a todos os membros do clero maior disponibilidade em servir a Igreja em locais onde há necessidade, sem olhar a sacrifícios. Verificar na Exortação (item 25) 

Divorciados - As pessoas que uniram-se pelo sacramento do matrimônio, divorciaram-se contraíram novas núpcias,  não estão excluídas da participação na Igreja, devem participar da Missa e educar os filhos na fé, mas não podem comungar. Verificar na Exortação (item 29)  

Defuntos - É reforçada a importância da oração de sufrágio,  particularmente a  celebração de Missas em favor dos fiéis defuntos.  Verificar na Exortação (item 32)

Maria - Estreita relação entre Eucaristia e a Virgem Maria.  Verificar na Exortação (item 33)

Eucaristia - Não pode "suportar a chantagem das modas passageiras".  "A celebração da Eucaristia  implica na Tradição viva".  Verificar na Exortação (item 37)

A igreja (templo) - Deve-se observar atentamente a questão das  expressões artísticas ao serviço da celebração.  Componente importante da arte sacra é a arquitetura das igrejas e os  elementos próprios do presbitério:  altar, crucifixo, sacrário, ambão, cadeira. A finalidade da arquitetura sacra é oferecer à Igreja que celebra os mistérios de fé, especialmente a Eucaristia, espaço mais idôneo para uma condigna realização da sua ação litúrgica. O mesmo princípio para toda arte sacra, como pintura, escultura, iconografia e responsabilidade na hora de chamar os arquitetos. O mesmo cuidado também para os paramentos, alfaias e vasos sagrados. Verificar na Exortação (item 41)

Canto gregoriano -  Em sua exortação o Papa descreve que nestes dois mil anos de história, a Igreja criou e  continua a criar um patrimônio que não se deve perder e que em liturgia, não se pode dizer que tanto vale um tipo de cântico como outro. Disse ser necessário evitar a  improvisação ou introdução de gêneros musicais que não respeitem o sentido da liturgia. Por isso, reafirmando o pedido dos padres sinodais, pediu a valorização do canto gregoriano como canto próprio da liturgia romana.  Verificar na Exortação (item 42)

Liturgia da Palavra -  O Papa pediu preparação e  cuidado na proclamação da Palavra de Deus por leitores bem preparados,  cabendo, inclusive,  breves  palavras de preparação para renovar a consciência dos fiéis nesse momento, em que o próprio Deus fala ao seu povo.  Também iniciativas pastorais para promover a Liturgia das Horas,  sobretudo Laudes, Vésperas e Completas, além de vigílias,  orações dos Salmos, leituras bíblicas e as de grande tradição apresentadas no Ofício Divino.  Verificar na Exortação (item 45)

Homilia -  Necessidade de melhorar a  qualidade da homilia, que deve ser preliminarmente preparada, evitando-se homilias genéricas ou abstratas, ou seja, sua finalidade deve ser catequética e exortativa.  Verificar na Exortação (item 46) 

Saudação da paz -  O Papa ressaltou a relevância do ato, porém  fez constar que, no Sínodo dos Bispos, sublinhou-se a  conveniência de moderar este gesto, que pode assumir expressões excessivas, suscitando confusão precisamente antes da comunhão. Pediu sobriedade, limitando, por exemplo, saudar só a quem estiver mais próximo.   Verificar na Exortação (item 49) 

Comunhão -  Reforça que os ministros ordenados e àqueles que, devidamente preparados (em caso de real necessidade), estejam autorizados para o ministério da distribuição da Eucaristia, façam o possível para corresponder ao valor do encontro com o Senhor Jesus no Sacramento. Verificar na Exortação (item 50) 

Pós comunhão -  Além da entoação dum cântico oportuno, pode ser útil também permanecer recolhidos no silêncio.   Verificar na Exortação (item 50) 

"Participação" dos fiéis na Missa:  O Papa adverte que embora o Concílio Vaticano II tenha dado ênfase sobre participação ativa, não se pode ignorar que houve, às vezes, incompreensão precisamente acerca desta participação, que não significa mera atividade exterior durante a celebração,  mas que deve ser entendida a partir duma maior consciência do mistério que é celebrado. Com este enfoque, portanto, permanece válida a Constituição conciliar feita aos fiéis para não assistirem à Missa como "estranhos ou espectadores mudos", mas a participarem "na ação sagrada, consciente, ativa e piedosamente".  Verificar na Exortação (item 52) 

Ministério Sacerdotal -  Trata das diversas funções hierárquicas implicadas na celebração.  O Papa ressalta que a expressão na ordem, cada um é chamado a participar das diversas funções hierárquicas na própria celebração. É o padre que, insubstituivelmente, preside a celebração eucarística inteira, desde a saudação até a Bênção final. Ele representa Jesus Cristo, cabeça da Igreja, pela ordem sacra recebida. E que cada celebração eucarística, é presidida pelo Bispo "quer pessoalmente, quer pelos presbíteros, seus colaboradores" e é coadjuvado pelo diácono, que na celebração tem algumas funções: preparar o altar e assistir ao sacerdote, proclamar o Evangelho e, eventualmente,  fazer a homilia, propor aos fiéis as intenções da oração Universal, distribuir a Eucaristia. Verificar na Exortação (item 53) 

Participação de cristãos não católicos -  Ficou decretado não ser possível realizar concelebrações com igrejas ou comunidades eclesiais que não estão em comunhão com a Igreja Católica.  O Papa sublinhou que "o respeito que devemos ao sacramento do Corpo e do Sangue de Cristo, impede-nos de fazer dele um simples « meio » usado indiscriminadamente para alcançar a referida unidade. De fato, a Eucaristia não manifesta somente a nossa comunhão pessoal com Jesus Cristo, mas implica também a plena comunhão (communio) com a Igreja; este é o motivo pelo qual, com dor mas não sem esperança, pedimos aos cristãos não católicos que compreendam e respeitem a nossa convicção, que assenta na Bíblia e na Tradição: pensamos que a comunhão eucarística e a comunhão eclesial se interpenetrem tão intimamente que se torna geralmente impossível aos cristãos não católicos terem acesso a uma sem gozar da outra."  Verificar na Exortação (item 56) 

Missa pela TV -  O Papa enalteceu o progresso dos meios de comunicação, especialmente quanto à sua participação referente à celebração eucarística.  Mas pediu um vivo sentido de responsabilidade pelos agentes pastorais requeridos ao setor, devendo realizar-se em lugares dignos e bem preparados, respeitando as normas litúrgicas.   Disse ainda que quem assiste a missa pela TV não cumpre o preceito dominical.  Sendo louvável a participação dos doentes em participações radiotelevisivas, o mesmo não se pode dizer das pessoas que o fazem pensando que estão dispensadas de ir à Igreja após assistir a missa na TV.  Verificar na Exortação (item 57) 

Deficientes -  Pediu-se a  remoção de eventuais obstáculos arquitetônicos nas Igrejas para facilitar o acesso aos deficientes na celebração eucarística, bem como atenção especial na hora de receberem a Comunhão.  Verificar na Exortação (item 58) 

Ajoelhar-se - Foi enfatizado a importância do ajoelhar-se durante os momentos salientes da Oração Eucarística, mesmo considerando-se o contexto de diferentes culturas.  Verificar na Exortação (item 65)

Lugar do Sacrário - A correta localização do Sacrário, de modo que seja fácil, para qualquer pessoa que entre na Igreja, identificar especialmente pela presença da lâmpada do Santíssimo, perenemente acesa.  Nas igrejas, onde não existe a capela do Santíssimo Sacramento, mas perdura o altar-mor com o Sacrário, deve-se evitar que a cadeira do celebrante fique à sua frente. Bom seria predispor a capela do Santíssimo nas proximidades do presbitério, mas onde isso não for possível é preferível colocar o Sacrário no presbitério em lugar suficientemente elevado.  Deve-se obedecer a Instrução Geral do Missal Romano e,  em todo o caso, o juízo último desta matéria compete ao bispo diocesano.  Verificar na Exortação (item 69)

Domingo - Foi enfatizada  a importância do comparecimento na missa dominical,  a santificação do Domingo como o Dia do Senhor.  Verificar na Exortação (itens 72 a 74)

Missa diária - Foi recomendada a missa diária, mesmo quando não houver participação dos fiéis.  Verificar na Exortação (item 80)

Comunidades onde não há padre para celebrar Missa - Foi recomendado que os fiéis, neste caso,  procurassem uma das igrejas da diocese onde está garantida a presença do sacerdote, mesmo que isso exija sacrifício. Também que  fosse  enfatizada  a importância do comparecimento na missa dominical,  a santificação do Domingo como o Dia do Senhor. Nos casos em que isto se tornar impossível em função da distância é importante a reunião dos fiéis, a partir de discernimento da diferença entre a Santa Missa e as assembléias à espera de sacerdote.  Deve-se vigiar a liturgia da palavra sob a guia de um diácono ou de um responsável da comunidade, cujo ministério foi devidamente confiado pela autoridade competente.  A função dos leigos, não pode ofuscar o ministério insubstituível dos sacerdotes na vida da Igreja.  Verificar na Exortação (item 75)

Aborto e Eutanásia - São valores inegociáveis a defesa pela vida, desde a concepção até sua morte natural. "Isto vale para todos os batizados, mas impõe-se com particular premência a quantos, pela posição social ou política que ocupam, devem tomar decisões sobre valores fundamentais como o respeito e defesa da vida humana".  Verificar na Exortação (item 83)

                                                                      

Acessar o documento integral

  Ir para  Página Oriente