Página Oriente

 

 

 

2ª Viagem apostólica do Papa à Alemanha

de 09 a 14 de setembro de 2006

Fonte: Agência VIS e Rádio Vaticano

VISITA DO PAPA À BAVIERA  (Resumo das principais notícias e discursos)
                        Sumário:                     

1) 09/09/2006 - Quem acredita nunca está só - É o lema da viagem do Papa à Baviera de 09 a 14 de setembro

1) "Quem acredita nunca está só" - É o lema da viagem do Papa  [<> inicial  >> Próximo]

Matéria por Rádio Vaticano - créditos

Uma viagem na memória, um itinerário entre os lugares da infância e da juventude: assim se apresentam os seis dias que Bento XVI estará na sua Baviera natal, naquela que constitui a sua quarta viagem fora de Itália, do seu pontificado.

 

Segundo o programa oficial, serão doze ao todo as intervenções públicas do Papa – contando discursos propriamente ditos, homilias e simples saudações – ao longo das diferentes etapas da visita: Munique, Altotting, a aldeia natal Markt am Inn, Regensburg (onde continua a viver seu irmão George), o cemitério de Zuegetzorf onde se encontram sepultados os pais e a irmã, e finalmente Pentling e Freising.

 

O Papa partirá do aeroporto de Ciampino, em Roma, neste sábado 9 de Setembro, e chegará a Munique cerca das três e meia da tarde. Depois da cerimónia de boas vindas, o Papa desloca-se ao Seminário Gregoriano de Munique e, pela tarde, terá um primeiro encontro com a multidão, na histórica Marienplatz, onde rezará ante a Mariensaule (Coluna da Virgem).

 

No Domingo, 10 de Setembro o Papa presidirá à eucaristia na esplanada Neue Messe de Munique. Está, ainda, previsto um almoço no palácio arquiepiscopal com os Cardeais alemães. Concluirá as actividades do dia com a oração das vésperas na catedral. No dia seguinte o papa irá a Altötting, onde pela manhã visitará o santuário mariano desta localidade e inaugurará a capela da Adoração. Antes de finalizar, está prevista uma breve oração no Convento da Madalena, na Basílica de Santa Ana.

 

À tarde, o Papa chegará a Marktl am Inn, sua terra natal, onde visitará a igreja em que foi baptizado. Depois irá a Regensburg, a cidade em que morou mais de uma década como professor universitário. Ali se reunirá com seu irmão, monsenhor Georg Ratzinger, e juntos irão ao cemitério para venerar a memória da sua família.
Na quinta-feira, último dia desta viagem, presidirá à eucaristia no Seminário Maior e terá um encontro com sacerdotes e diáconos, antes de empreender a viagem de regresso a Roma, onde chegará ao início da tarde.

 

Esta visita de Bento XVI à Baviera (Alemanha) tem como lema “Quem acredita nunca está só”, palavras que o Papa disse várias vezes aos fiéis no início do seu pontificado.

 

Com estas palavras Bento XVI quer “abraçar toda a comunidade de fiéis”. O lema “significa que todos os batizados foram acolhidos na grande comunidade dos fiéis e, junto com ela, são Igreja”. Esta mensagem é particularmente relevante para uma Igreja que vive com uma contínua quebra no número de fiéis, sublinhando o caráter comunitário da fé.

 

A “máxima expressão” da comunhão eclesial que a fé proporciona, vive-se “na celebração comum da Eucaristia”. Por este motivo, apresentam-se como momentos mais importantes da viagem do Papa as celebrações da missa em Munique, Altotting e Regensburg.

 

As três Dioceses da Baviera do Sul marcaram a vida de Bento XVI: foi batizado em Passau, peregrinou como tantos outros ao santuário mariano de Altotting, foi professor em Regensburg e Arcebispo de Munique.

 

As celebrações do Papa, nesta viagem, pretendem ser “uma imagem da multiplicidade da vida litúrgica da Igreja e referência exemplar para as comunidades paroquiais”.

 

 

                                                                      

Ir para a sinopse do pontificado de Bento XVI  

Ir para  Página Oriente