Santas Tarsila e Emiliana

Comem. litúrgica: 24 de dezembro -( Vigília do Natal do Senhor). Também nesta data: Santos Sharbel, Delfim e Irmina. 

   

 

Gordiano, senador romano e  pai do Santo Papa Gregório, tinha  três irmãs, que se dedicaram ao serviço de Deus e  lhe votaram  a  sua virgindade. Eram Tarsila, Gordiana  e  Emiliana. Quase ao mesmo tempo estas três donzelas tinham  tomado tão santas resoluções e  viviam na  casa  paterna  como em um convento, animando-se mutuamente, pela palavra e pelo exemplo, a prosseguir na  senda da perfeição. O progresso que faziam na prática das virtudes, parecia  em todas as três igual. Depois de alguns anos, porém, podia se notar uma mudança no estado das coisas. Tarsila e Emiliana  de tal maneira, se desapegaram das coisas do mundo, a tal grau chegaram  na união com Deus, que pareciam ter-se esquecido do corpo, vivendo unicamente em espírito. Tal não se dava com Gordiana. Esta perdeu  o primitivo zelo, arrefeceu  no amor de Deus, que antes a incendiara. Tornou-se tíbia e abriu o coração ao amor do mundo. Esta mudança muito entristeceu as  duas irmãs, que tudo fizeram para que Gordiana se  lembrasse dos seus deveres e  voltasse às práticas da  religião.

Realmente, conseguiram  que ela recomeçasse a  vida fervorosa, como antes a levava. Mas passageira  foi a mudança; Gordiana recaiu e, mais ainda  do que a primeira vez, se deixou levar pela simpatia do mundo e seus prazeres.  O silêncio, o recolhimento, a companhia das irmãs e, de outras pessoas  devotas, tornaram-se-lhe  insuportáveis e, em lugar destas, começou a procurar a  companhia  e amizade  de pessoas  da  sociedade. Tarsila e Emiliana   continuaram na vida santa de  antes, lamentando profundamente o desvario da irmã. Tarsila, mais ainda que Emiliana, se aperfeiçoava  na vida interior e mais cedo que esta, parece ter alcançado o fim desejado.  São Gregório, seu sobrinho, fala de uma  visão que a santa teve nos últimos dias de vida. Ela  viu o Papa Félix (de que era parenta),  que lhe mostrava  uma morada belíssima, rodeada de luz, que devia ocupar. No dia que se seguiu esta visão, Tarsila foi acometida de  uma febre alta e adoeceu gravemente.  Agonizante já, parecia acordar de um profundo sono e  exclamava em alta voz: "Dai lugar! Jesus está chegando, querendo visitar-me!"  Ditas  estas palavras, morreu placidamente, e o quarto em que estava, encheu-se de  delicioso  perfume. Esta morte  ocorreu  nas  vésperas  do Nascimento de  Nosso Senhor.  

Depois dos  dias  da  Festa do Natal, apareceu a  Emiliana  e  disse-lhe  ser vontade de Deus que celebrassem juntas  no céu a  festa da Epifania. Emiliana  recebeu com agrado esta nova, mas  manifestou apreensões relativamente a Gordiana.  Tarsila respondeu-lhe  com  profunda tristeza: "Não te incomodes mais por causa de Gordiana. No coração dela não temos mais lugar; está  resolvida a voltar ao mundo".   Emiliana  adoeceu e faleceu na vigília da  festa da Epifania. Gordiana  afastou-se  cada vez mais do espírito religioso que até então  reinava na casa do pai. Fez uso da liberdade, desfez-se do véu e casou-se com um morador da  casa.   São Gregório acrescenta:  "Eis  três pessoas  que, animadas  do mesmo zelo, se  consagraram a Deus mas não perseveraram  todas no mesmo espírito:  Pois é como disse  Nosso Senhor: 'Muitos  são os  chamados, poucos os  eleitos'."

REFLEXÕES     

As duas  santas irmãs Tarsila  e  Emilana fugiram do mundo, porque o viram  cheio de perigos e ocasiões para pecar.  Quem deseja seriamente a  eterna salvação, deve ao menos2  evitar a  ocasião próxima do  pecado e  transformá-la  em remota, senão o pecado em que vive,  leva-o seguramente à perdição eterna.  

O demônio procura  encobrir  o perigo que há, e engana a  vítima  sobre a gravidade da  situação. Procurar  a  ocasião próxima e  ficar  isento do pecado, é coisa  impossível e  excede  às forças de todo o homem, ainda que fosse piedoso como Davi, sábio como Salomão e forte como Sansão.  "Aproximando-te demais  do fogo - diz  Santo Isidoro - embora sejas de ferro, o calor far-te-á  derreter.  Quem está perto do perigo, por  muito tempo não se preservará do pecado". 

                           *  *  *  *  *  *  *  *  *

  Ir para  Página Oriente         

 Referências bibliográficas:

Na luz Perpétua,  5ª.  ed., Pe. João Batista Lehmann, Editora Lar Católico - Juiz de Fora - Minas  Gerais,  1959.

* Folhinha  do  Coração de Maria  2002 - Verso folheto 25/12 -  Editora Ave Maria.