Santo Antero, Papa e Mártir  

Comem. Litúrgica:  03 de janeiro - Também nesta data: SS Nome de JesusSanta  Genoveva, São Cirino e São Florêncio

 

 

Pontificado ano de 235 a 236

 

                                              Santo Antero, sucessor de São Ponciano, foi o décimo nono Papa da Igreja.  Era natural da Grécia,  tendo seu pontificado durado pouco mais de um mês. Assumiu a Cadeira de Pedro em novembro de 235 e morreu martirizado no mês de janeiro do ano subsequente.  

                                              Apesar do curto período  em que permaneceu à frente da Igreja de Cristo,  seu nome ficou marcado pelo importante empenho na preservação do acervo documental católico, permitindo aos historiadores o acesso à diversas  informações escritas da Igreja primitiva.  Graças  a  isto, foram mantidas as bases de  conhecimento de muitas coleções redigidas  pelos notários.  

                                              Ele se encarregou especialmente em  organizar as  atas concernentes aos mártires da Igreja, determinando que fossem lavradas cópias para serem guardadas  nas igrejas.   Definiu também a compilação de documentos canônicos oficiais, os quais  foram guardados em  um lugar chamado “scriniun”. Muitas recompilações foram queimadas  por ordem do imperador Diocleciano,   mas voltaram a  ser redigidas para desaparecerem novamente nos tempos do Papa Honório III (1225).

                                              Sofreu o martírio sob o governo de  Maximiano, no dia 03 de Janeiro de 236, tendo seu corpo sido sepultado junto às catacumbas de São Calixto.

Reflexões:

Santo Antero  dedicou-se  em  colecionar e  catalogar as atas dos mártires e certamente,  isto contribuiu para que muitas  das preciosas histórias não se perdessem  no tempo. Verdadeiros exemplos e forças motrizes que revigoram a fé, o exemplo dos mártires nos  confirma que a terra é com razão chamada um vale de lágrimas. Lágrimas umedecem os olhos não só do crente, mas também do infiel. Para todos a  vida é uma luta, ou na linguagem de Jó "uma guerra". Para os infiéis, que tem os olhos voltados  para a terra,  mesmo que materialmente vitoriosa, a batalha resulta muitas vezes na perdição, na derrota eterna;   para os outros, esta guerra,  sobretudo  com as baixas  causadas pelo martírio,  a salvação.   Santo Antero  preservou zelosamente o ensinamento destes  Santos mártires e acabou agremiando-se a eles,  com o recebimento da gloriosa coroa do martírio. Seus exemplos,  nos indicam a postura a tomar  no combate: Olhos fixos para o alto, onde os espinhos, as quedas e  as  baixas são muitas vezes,  necessariamente inevitáveis. 

                                        *  *  *  *  *  *  *  *  *

         Ir para  Página Oriente         

 Ir para história dos  Papas desde  São Pedro

Referência bibliográfica (história): Na luz Perpétua,  5ª.  ed., Pe. João Batista Lehmann, Editora Lar Católico - Juiz de Fora - Minas  Gerais,  1959. Reflexões: Página Oriente.