Página Oriente

             Bíblia Sagrada - Introdução 

= Site Católico Apostólico Romano =     Se você chegou aqui através de sites de busca, acesse nossa Página Principal 

   Ir para Livros da Bíblia e Abreviaturas

 

Divide-se a Bíblia  em duas  grandes partes, chamadas respectivamente ANTIGO e NOVO TESTAMENTO. O termo testamento substitui   atualmente um antigo termo grego que significava pacto ou aliança. Com efeito,  em toda a Bíblia trata-se da aliança feita por Deus com os homens, primeiramente por intermédio de Moisés e  em seguida pelo ministério de Jesus  Cristo.

 INTRODUÇÃO - ANTIGO TESTAMENTO 

É sumamente útil lembrar como foi feita  cada uma dessas coleções. A coleção dos livros  do Antigo Testamento originou-se no seio da comunidade dos judeus que a foram ajuntando no decorrer de sua história. Dividiram-se  em três partes: 

1.  A Lei (Torá) - Contendo cinco livros , chamados mais tarde de  O Pentateuco,  que significa  os cinco volumes,  forma  o núcleo fundamental da Bíblia. Esses cinco livros  são:  Gênesis, Êxodo, Levítico , Números e  Deuteronômio. 

2. Os  Profetas -  Os judeus abrangiam  sob esse título não somente os livros que hoje são chamados Profetas,  mas também a  maioria dos escritos que hoje costumamos chamar Livros  Históricos. 

3. Os Escritos - Os judeus  designavam  por esse nome os  seguintes livros:  Salmos, Provérbios, Jó,  Cântico dos Cânticos, Rute, Lamentações, Eclesiastes, Ester, Daniel, Esdras e Neemias e  as  Crônicas.  

É a essa divisão  que se refere o Divino Mestre quando mais de uma vez (p. ex. Mt 22,40) falou da "Lei e os Profetas". 

Esta coleção já  estava  terminada no segundo século antes de nossa era.  Nessa mesma época, os judeus  já estavam, em parte,  dispersos pelo mundo. Uma importante colônia judaica vivia então no Egito , notadamente em Alexandria, onde se falava muito a língua grega. A Bíblia então foi traduzida para o grego. Alguns escritos   recentes foram-lhe acrescentados sem que os judeus  de Jerusalém os  reconhecessem como inspirados.  São os seguintes livros: Tobias e  Judite,  alguns suplementos dos livros de Daniel e Ester, os livros da Sabedoria e  do Eclesiástico, Baruc e a Carta de  Jeremias, que se lê hoje no último capítulo de Baruc.  A Igreja admitiu-os  como  inspirados  da  mesma forma  que os outros livros. 

INTRODUÇÃO - NOVO TESTAMENTO 

A palavra "Evangelho" é de origem grega  e significa Boa Nova. Os Evangelhos  eão escritos que contam a boa nova da vinda entre os homens daquele que se fez  "filho do homem",  a fim de que nos possamos tornar  filhos de  Deus. 

Mas antes de ser um livro.  o Evangelho foi uma palavra pregada; antes de ser lido,  foi ouvido. Como o Senhor Jesus  tinha falado, assim  falaram os Apóstolos  após a sua morte. Além disso, transmitiram  sua doutrina acrescentando-lhe, sob inspiração Divina, o verdadeiro testemunho escrito da vida de Jesus, suas ações, seus  ensinamentos. 

Particularmente, o Livro dos Atos dos  Apóstolos se insere no seguinte quadro: 1. A pregação de João Batista;  2.  A missão de Jesus  na Galiléia e em Jerusalém;  3.  a missão de Jesus  na Judéia e em Jerusalém;  4.  sua paixão, morte e ressurreição. Esse ensinamento foi em breve  consignado parcialmente por escrito, para que fosse  conservado com fidelidade.  Da mesma forma, tal quadro se amolda a narrativa dos três primeiros  evangelistas,  Mateus,  Marcos e Lucas. 

Já o Evangelho de  João,  deve ser apreciado de forma um pouco diferente, pois  foi um dos mais íntimo discípulos de Jesus, a quem o Salvador  confiou o cuidado de sua  Mãe, Maria Santíssima, no momento de  sua morte.  Por várias  vezes ele  designa discretamente a  si mesmo pelas palavras : "o discípulo que Jesus amava". 

Os Atos dos Apóstolos foram  escritos por Lucas,  e contam os acontecimentos   que marcaram o nascimento da Igreja Primitiva:  a  ascenção de Jesus, o Pentecostes, a primeira  pregação em Jerusalém e na Palestina, a conversão de Paulo e  suas viagens  missionárias através da Ásia Menor e  da Grécia, sua prisão,  seu processo e sua transferência  para Roma. 

Em seguida as  Epístolas de São Paulo (duas  aos Tessalonicenses, uma aos Gálatas,  aos Romanos, a primeira e segunda aos Coríntios, aos Efésios, Filipenses, Colossenses e finalmente duas a Timóteo,  uma a Tito uma a Filemon e  outra aos Hebreus.  Depois as  Epístolas Católicas, porque se apresentam sob a forma de cartas, dirigidas não a uma comunidade  em particular, mas a um conjunto de Igrejas. São elas:  Epístola de Tiago, Primeira de Pedro, Segunda de Pedro, Epístola de Judas e, por fim , as Três de João. 

O Apocalipse (palavra grega que significa  revelação) é obra do Apóstolo João, que o escreveu no fim de sua vida. É considerado o livro  mais difícil de compreender e  o mais misterioso e enigmático de toda a Bíblia.  Traz uma revelação sobrenatural, representando o presente, passado e futuro, concernente  a  um período  que separa a ascensão de Jesus e sua volta gloriosa. Indica os  sinais dos  finais dos  tempos, bem como anuncia  aos fiéis  a  impossibilidade de  escapar à luta e  ao sofrimento, às perseguições e  ao fracasso aparente do plano terrestre, à realidade  da salvação que  lhe será concedida no meio de suas obrigações, e à vitória  final, obra de Cristo ressuscitado, que venceu a morte.  

Ir para  Página Oriente

            Referências:  Síntese  de algumas  partes extraídas  da  Bíblia Sagrada, ditora  Ave Maria,  94a. Ed,  1995.